Boa semana #116 – A T volta ao otorrino e o L começa a tratar os kissing nodules

Está semana a T voltou ao otorrino que a segue no privado para sabermos os resultados dos exames que tinha feito no início do mês. para nossa agradável surpresa os tímpanos dela tinham recuperado completamente e não havia qualquer sinal de danos permanentes, apesar da otite mais recente que parecia indicar que as coisas estavam a piorar.

Entretanto recebemos a marcação da consulta para o otorrino na Estefânia, não que tenha grandes esperanças porque aquele departamento não funciona muito bem. mas o otorrino disse nos para irmos mesmo assim.

Apesar de ele estar otimista de que poderemos evitar a cirurgia. em setembro vai iniciar a vacina oral, deve parar agora a medicação nos meses de verão e retomar em setembro.

Agora só temos que superar o próximo inverno, irá fazer novos exames no final de outubro para ver se continua tudo bem ou se é preciso ajustar a medicação. mas o médico diz que agora é controlar e deixa la crescer, esperemos mesmo que esta fase difícil passe sem a necessidade de fazer a cirurgia.




O L recomeçou a terapia da fala hoje, ao longo do ano letivo não conseguimos fazer. como sabem ele foi seguido na terapia no ano passado e a terapeuta encaminhou-o para o otorrino por suspeita de nódulos nas cordas vocais. suspeita essa que se veio a confirmar ainda no ano passado. mas não conseguimos encontrar uma terapeuta que trabalhasse com a ativecare e para encaixar nos nossos horários.

Então agora retomamos à mesma terapeuta mas ainda não sabemos como vamos fazer no inicio do ano letivo. Com os nódulos nas cordas vocais confirmados (kissing nodules) o foco da terapia passa da escrita e oralidade para a voz.

O objetivo é fazer com que os nódulos nas cordas vocais desapareçam ou pelo menos diminuam, para isso é necessário manter as alergias controladas, manter uma boa hidratação, melhorar a postura e a respiração e eliminar a tensão nos músculos do pescoço! Um verdadeiro desafio para uma criança que colabora pouco!

Na altura o que chamou a atenção da terapeuta foi a voz rouca do L. Nós nunca achamos estranho, pensamos que era apenas a característica da voz e sempre que ficava pior associávamos a uma gripe, resfriado ou às alergia. Nunca pensamos que pudesse ser um problema nas cordas vocais até a terapeuta da fala dar o alerta.

Os nódulos foram confirmados através de uma laringoscopia que consiste em enfiar um pequeno tubo com uma camera pelo nariz, curiosamente o L colaborou muito bem. O médico foi atencioso e mostrou-lhe o que estava a ver no ecrã o que captou a atenção dele e fez com que colaborasse.

A causa mais comum dos nódulos é uso incorreto da voz. O que no Lucas vai ser muito difícil de conseguir controlar, para além de ter a tendência de gritar e falar alto, é habitual também fazer sons e imitações que esforçam as cordas vocais. E conseguir que ele deixe de fazer isso não tem sido tarefa fácil, esperamos que agora com a terapeuta ajude.

Ele terá que beber 1l de água por dia e fazer uma série de exercícios de relaxamento. A água fresca também está proibida, bem como o ar condicionado e o uso excessivo da voz, que é a única coisa que não conseguimos controlar por agora.

O L tem uma série de questões, o que dificulta todo o processo. Não são apenas os kissing nodules, são as alergias difíceis de controlar, o único medicamento a que ele responde esteve meses esgotado o que complica mais tudo. São os atrasos no desenvolvimento, as dificuldades de socialização, as dificuldades de aprendizagem e a psicóloga continua a não descartar a hipótese de autismo, embora que ligeiro…

Não é tarefa fácil mas no final da jornada sei que terá valido a pena!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *